Faça também a sua própria análise. Estudos demonstram que algumas pessoas têm tendência em ouvir apenas os conselhos dos investidores, segundo o manual das Finanças Pessoais de João Pessoa Jorge e Ricardo Ferreira. Na verdade, seguir também as recomendações dos analistas pode prejudicar a sua carteira de investimentos. Por isso, é fundamental perceber por si como funciona o mercado bolsista.



Conheça algumas recomendações a ter em conta para colocar a informação divulgada pelos analistas sobre determinada acção:

1- Diversificar fontes. A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) aconselha os investidores a fazerem uma profunda análise das recomendações dos analistas, ou seja, nos últimos tempos, quais foram os ganhos efectivos em acções. Esta informação está disponível nos sites das maiores empresas de PSI 20 (Índice Português de Acções).

2- Esteja atento aos preços-alvo. O item mais relevante dos relatórios da análise financeira é (na maioria das vezes) o preço-alvo e a recomendação. A CMVM aconselha que foque na totalidade dos relatórios, nomeadamente pressupostos, previsões e perspectivas do analista financeiro, datas de inicio, conclusão e divulgação do documento. Além disso, deve fazer a análise da relação entre o preço-alvo e respectiva recomendação apresentados.

3- Atenção aos conflitos de interesse. A CMVM aconselha que esteja atento às recomendações e relações comerciais da entidade que emite a recomendação como emitente objecto recomendado, uma vez que existem grandes interesses. Desta forma, pode evitar um mau negócio.

4- Não sacrifique um objecto em prol das recomendações. Ao investir, é necessário ter em conta o seu perfil de risco e os seus objectivos de investimento. Apesar do relatório de análise financeira o ajudar, não significa que terá garantias nas suas compras. Sempre que tiver dúvida, aconselhe-se com um intermediário financeiro.

Fonte: iSabe