As novas condições de mercado estão a atrair compradores nacionais.

Os hoteleiros acreditam que, este Verão, o Algarve vai estar a abarrotar de turistas. Mas não só: também os mediadores e promotores imobiliários estão com as expectativas em alta para a época. É que, apesar do mercado imobiliário, especialmente o residencial, estar a sofrer com a crise económica e com as medidas restritivas no crédito à habitação, o certo é que o Algarve apresenta, neste momento, boas oportunidades de negócio.





Os responsáveis das empresas de mediação e dos promotores, prevêem que este ano deverá registar-se um aumento dos negócios neste mercado sazonal, principalmente através do reforço das vendas a clientes portugueses, actualmente o comprador ‘número um’ de casas no Algarve.

Para isso, os mediadores e promotores estão a contar com o facto de as casas estarem mais baratas - entre 10% e 20% -, mas sobretudo com a nova realidade algarvia, caracterizada por um mercado com ‘centenas de imóveis que os bancos estão a colocar no mercado, com financiamento garantido, isenção de avaliação e custos de dossier’, comenta o director-geral da ERA Imobiliária, Miguel Poisson. Ou ainda, um mercado onde os ingleses e, acima de tudo, os irlandeses, ‘não estão a cumprir os contratos promessa de compra e venda e acabam por vender as casas por valores mais baixos’, conta o director do departamento residencial da CB Richard Ellis, José Nuno Magalhães.

Aliás, de acordo com este responsável, esta é uma oportunidade que já está a ser aproveitada pelos portugueses, que estão agora a substituir os tradicionais clientes do Algarve na aquisição de uma casa de férias no Algarve, mas com a vantagem de o fazerem com desconto.

Além disso, reforça Miguel Poisson, ‘tem havido, também, muitos investidores a comprar casas a pronto, muitos delas para depois colocar no mercado do arrendamento’. Uma tendência que poderá mesmo aumentar já que, segundo o director-geral da Fitamétrica, Paulo Fernandes, ‘tem-se verificado um aumento da procura de arrendamentos de longo prazo no Algarve’.

A ERA é uma das mediadoras que já está a sentir os efeitos desta nova realidade, tendo aumentado significativamente as vendas de casas.

De acordo com Miguel Poisson, as agências da ERA no Algarve voltaram a apostar no mercado português e têm conseguido revender as casas de ingleses e irlandeses em euros, e assim permitir que estes recuperem o investimento, tendo em conta que a libra desvalorizou face ao euro. O mesmo se passa com a Fitamétrica que, atenta ao crescimento deste mercado, está a preparar a abertura de cinco novas lojas em Portimão, Vilamoura, Quarteira, Faro e Armação de Pêra. Agências que junta à loja de Lagos, inaugurada há cerca de um mês.

Por outro lado, diz o director do departamento residencial da Abacus Savills, Frederico Mendoça, ‘existe algum movimento no Algarve e as expectativas são positivas’, mas ainda não sentem ‘grandes concretizações a nível de vendas’. Contudo, a consultora – tal como as outras contactadas pelo Diário Económico – optou por manter os planos e está a preparar, para as próximas semanas, o lançamento das vendas de alguns empreendimentos imobiliários.

Fonte: Económico (adaptado)