Menos de cinco meses depois das eleições Presidenciais, que custaram 12,8 milhões de euros, os portugueses regressam no domingo às urnas para eleger o próximo governo. O programa a cumprir nos próximos anos pode até já ter sido delineado pela troika, que nos escassos meses desde a eleição de Cavaco esteve em Portugal, mas a “tesoura” das três instituições internacionais não conseguiu cortar nos custos da democracia.






Fonte:  Jornal Negócios