“As indicações que dei, lembrando a nossa a nossa postura de forte vigilância, significa que pode haver uma subida das taxas na próxima reunião”, disse Jean-Claude Trichet. “Mas não assumimos esse compromisso, a decisão será tomada quando julgarmos que é necessário”.

Neste momento, a inflação está nos 2,7%, um valor acima do objectivo de médio prazo do BCE, que aponta para 2%. A autoridade de Frankfurt admite que esta subida dos preços está relacionada com factores temporários, como a alta das matérias-primas.





Contudo, Trichet também tem alertado para o facto de subidas transitórias se poderem enraizar nas expectativas dos agentes económicos, gerando aumentos de preços e salários inevitáveis. Uma subida da taxa de juro permitiria “pôr um travão” neste processo.

Em relação à decisão de hoje, Trichet disse que a manutenção dos juros foi unânime entre os membros do Conselho do BCE.

Fonte: JN