Depois de muitas ameaças e impasses, o Parlamento votou hoje favoravelmente à participação da Finlândia no resgate português.

Uma votação hoje em Helsínquia, na véspera da reunião de ministros das Finanças europeus para aprovar o resgate português, confirmou que a Finlândia vai participar nos empréstimos que serão concedidos a Lisboa nos próximos anos.





Ao contrário do que acontece nos outros países do euro, a participação da Finlândia no resgate português tinha de passar no crivo do seu Parlamento. As dúvidas surgiram ainda durante a campanha eleitoral - houve legislativas na Finlândia em Abril - com um dos partidos mais conservadores, que acabaria por ter mais de 10% dos votos, a opor-se à ajuda a Portugal.

De Bruxelas a mensagem foi quase sempre unânime: não havia plano B para ajudar Portugal no caso de a Finlândia sair de cena, dado que a activação do Fundo Europeu de Estabilização Financeira exige uma decisão unânime dos Estados-Membros.

Com esta decisão de Helsínquia tudo está agora bem encaminhado para que os países do euro aprovem, no início da próxima semana, o resgate de 78 mil milhões de euros a Portugal. Desse valor, 52 mil milhões virão de Bruxelas.

Fonte: Económico