Face ao período homólogo, o valor médio de avaliação bancária realizada no âmbito da concessão de crédito à habitação do país desceu 1,8%.

“O valor médio de avaliação bancária do total do País fixou-se, em Março de 2011, em 1.151 euros/m2, correspondendo a um aumento de 1,1% comparativamente com o mês anterior e a um decréscimo de 1,8% em termos homólogos”, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE).



O valor médio de avaliação no total do país tem vindo a registar variações homólogas negativas nos últimos cinco meses. Apenas na Região Autónoma dos Açores se registou um crescimento homólogo, de 6,5%, na região de Lisboa foi sentida a queda homóloga mais acentuada.
Nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, as variações em cadeia, foram de 0,2% e 0,7%, respectivamente. Contudo, também desceram face ao mesmo mês do ano passado. As descidas foram de 3,2% e 3,8%, pela mesma ordem.

“Este aumento do valor médio de avaliação bancária em Março foi sobretudo determinado pelo segmento moradias, que em parte terá reflectido um número mais elevado de avaliações de tipologias superiores”, refere o comunicado do INE.

No que se refere aos apartamentos, o valor médio de avaliação bancária foi de 1.210 euros/m2 em Março, o que representa um aumento de 0,6% face ao mês anterior e uma queda de 3,2% face ao período homólogo.

Nas moradias, o valor médio de avaliação bancária para o total do país fixou-se em 1.052 euros/m2, o que significa um avanço de 1,7% face a Fevereiro e de 2,3% face ao mês de Março de 2010.

Fonte: Jornal de Negócios