Pedir crédito para compra de casa é cada vez mais difícil para os portugueses. Os spreads dos bancos que actuam no mercado português variam entre os 1,65% e os 4,50%, sendo que os juros realmente cobrados pela banca já se situam para lá dos 6%, avança o Correio da Manhã.



Em Portugal, a Caixa Geral de Depósitos é o banco que apresenta o spread mais elevado, com um juro efectivo de 6,06%. Pelo contrário, a Caixa Galicia Portugal tem o spread mais baixo, de 1,65%. Feitas as contas, num empréstimo de 150 mil euros a 30 anos, a diferença de prestação mensal nos dois bancos pode chegar aos 253 euros.

Vinay Pranjivan, da DECO, declarou que “apurar se os bancos estão a ter realmente dificuldades em se financiarem ou se estão a aproveitar uma situação para aumentarem as suas margens é extremamente difícil de verificar, dado que seria necessário analisar uma série de elementos.”.

A associação revela que só nos primeiros três meses do ano recebeu 57 reclamações de consumidores sobre as alterações dos spreads nos créditos à habitação.

Fonte: iOnline/CM