Área contratada em Lisboa no primeiro trimestre do ano caiu 60% em relação ao período homólogo.
A área de escritórios arrendada em Lisboa no primeiro trimestre de 2011 caiu 60% quando comparada com a do período homólogo, atingindo assim o valor mais baixo dos últimos dez anos.



De acordo com o estudo da consultora imobiliária Aguirre Newman, hoje divulgado, no primeiro trimestre de 2011 foram contratados 13.530 m2 de área de escritórios em Lisboa, enquanto que no mesmo período de 2010 foram negociados 33.969 m2 de área de escritórios. Além disso, do total da área contratada no primeiro trimestre de 2011, 28% são em edifícios novos e 72% em edifícios usados.

Também a cair esteve a área média arrendada por transacção, que diminuiu cerca de 61% quando comparada com o trimestre homólogo, passando de 618 m2 em 2010 para os 242 m2 em 2011. De acordo com a Aguirre Newman, 43 das transacções realizadas entre Janeiro e Março deste ano (cerca de 77% do total) registaram uma superfície inferior a 300 m2 e apenas três transacções registaram uma superfície superior a 800 m2.

O estudo da consultora imobiliária revela ainda que se realizaram 56 operações de arrendamento no primeiro trimestre, correspondendo a mais uma transacção que em igual período do ano anterior. O maior número de operações verificou-se no eixo que vai da Avenida da Liberdade ao Saldanha (zona 1), no eixo da Avenida da República, Avenida Duque de Loulé e Amoreiras (zona 2) e no Eixo que vai da A5 até Porto Salvo e Alfragide (zona 6), respectivamente com 14, 16 e 17 registos.
No extremo oposto encontra-se o eixo que se prolonga do Campo Grande à 2ª Circular, Benfica, Praça de Espanha e Sete Rios (zona 3), onde apenas se efectuou uma operação de arrendamento.

Fonte: Economico